Para você que está pensando em morrer

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

Para você que está pensando em desistir de viver, 13 razões para mudar de ideia:

  1. Sintomas muito ruins e assustadores: Sentimentos ruins de angústia, vazio, medo, insegurança, podem ser muito intensos e quase sempre fazem parte de um processo de depressão ou outras condições que precisam de ajuda de um especialista. As vezes a gente fica em um estado em que não se reconhece mais… é importante pedir ajuda, procurar o tratamento adequado (sim, as vezes é importante usar medicamentos por um tempo), e acima de tudo aceitar esta condição (o seu cérebro é um órgão como qualquer outro do corpo, e também pode passar por problemas). É importante ter confiança e paciência que vai passar, mesmo apresentando sintomas muito ruins, estranhos e incapacitantes.
  2. Os patinhos emocionais: Algumas pessoas são muito sensíveis e têm dificuldade de expor o que sentem, podemos comparar aos patinhos da lagoa: por fora parecem calmos e tranquilos, mas embaixo da água os pezinhos estão a mil por hora. Assim pode ser o funcionamento emocional de algumas pessoas, vivem um turbilhão de emoções internas e por fora não demonstram nada…parece que está tudo muito bem, obrigada. Se você se identifica com isso, procure alguém que consiga abrir esta portinha tão difícil aí e que você confie em falar o que está te atormentando. Tudo bem se não conseguir se abrir com seus pais, sua família, amigos, não quer dizer que você não os ame, mas é uma característica sua. Peça ajuda e procure alguém que você tenha afinidade e sinta-se à vontade (um profissional especializado, um conselheiro espiritual, parente, amigo, etc.) que você consiga falar e mostrar o que está aí dentro.
  3. Rejeições: algumas pessoas, geralmente por vivências do passado, têm muita dificuldade para lhe dar com rejeição. Muitas vezes até situações simples podem ser interpretadas de forma distorcida ou como um processo de rejeição, que levam a sentimentos ruins de abandono, solidão, etc. Procure reconhecer se você vivencia isto e aprender outras formas de interpretar e reagir a estas situações.
  4. Frustrações: são os desafios da vida, algo que exige uma habilidade emocional para encarar alguma expectativa ou planejamento que não deu certo, ou que simplesmente não está ao seu alcance ou controle. São situações que exigem uma habilidade de aceitar que dias difíceis fazem parte da vida, que nem sempre temos aquilo que queremos na hora, mas saber esperar pode ser uma boa estratégia. Ou simplesmente acreditar que você possui habilidade e autoconfiança para encarar que algo não faz parte da sua vida e que nem tudo que queremos depende só de nós (ainda que tenha que pedir ajuda para aprender isso).
  5. Culpa e autopunição: muitas vezes carregamos em nossa história atitudes e acontecimentos que nos fazem sentir vergonha de nós mesmos. Não importa o que aconteceu, tudo pode ser remediado, e o primeiro passo é perdoar a si mesmo e saber que é possível mudar e fazer diferente. Por outro lado, existem pessoas que ruminam sentimentos de culpa que não são reais, mas por estarem em um processo depressivo acabam interpretando de forma distorcida muita coisa que acontece. Preste atenção se você pode estar vivendo isso…às vezes é preciso alguém de fora para te alertar!
  6. Existe uma solução! Por mais difícil e sem saída que pareça uma situação, sempre tem algo a se fazer para solucionar. É importante deixar os pensamentos menos acelerados, acalmar a angustia e o desespero, e as ideias para as soluções vão aparecer…peça ajuda e confie!
  7. Pertencimento: muitas vezes vivenciamos tantas decepções com as pessoas que vamos nos isolando e vamos desenvolvendo uma sensação de não pertencermos a este lugar, a este mundo…mas é importante saber que mesmo as pessoas que mais amamos podem nos magoar, isso faz parte das relações humanas. É importante saber expor sua magoa e decepção, e concentrar nas qualidades das pessoas e no que elas nos trazem de bom…e se você chegar à conclusão que aquelas pessoas, lugares ou amizades não servem pra você, fique tranquilo, em algum lugar e tempo este sentimento de pertencimento virá, e você vai encontrar a sua praia…
  8. Os outros não te definem! Se você estiver sendo vítima de Cyber(bullying), ofensas, exclusões, maus tratos, lembre-se que por mais difícil que seja a situação, ela vai passar. O mundo dá muitas voltas. A pessoa que está agindo desta forma com você tem as razoes dela (inveja, raiva, etc.) e ela não te define! Aquilo que ela pensa, fala e faz com você é uma atitude dela. Você é você, aguente firme e peça ajuda para sair desta situação.
  9. Não compare sua vida com a de ninguém! Impossível não falar nas redes sociais quando falamos sobre isso…a vida dos outros parece linda e perfeita no mundo digital, e algumas pessoas tendem a achar que somente a vida delas tem problemas, que não são boas o bastante, etc. Tenha este senso crítico no mundo real e no mundo virtual. Cada um tem a sua história, seu caminho, seus talentos e potenciais e também seus desafios.
  10. Acredite que você pode encarar e fazer de outra forma: podemos desenvolver habilidades emocionais para encarar situações de outra forma, mudar algumas crenças que estão em nosso subconsciente e que muitas vezes nos impedem de mudar, e nos fazem pensar que não adianta mais tentar…acredite que seus pensamentos, sentimentos e atitudes podem mudar e o resultado ser diferente…
  11. Faça algo novo: algo que lhe de prazer, algo que você gostava quando criança e esqueceu de realizar, algo que faça sentido para você…vá atrás do que goste e que preencha de verdade a sua vida!
  12. A vida lhe reserva novos sentimentos e sensações! Esteja aberto para as surpresas boas da vida, olhe para frente, olhe para os lados…a medida que amadurecemos e nos desenvolvemos emocionalmente, novas emoções e sentimentos que nunca imaginávamos que sentiríamos aparecem e te fazem sentir-se como nunca sentiu-se antes…acredite nisso!
  13. Impulsividade: Sempre pense muito antes de fazer algo! Toda ação envolve planejamento, cálculo das consequências e posteriormente a ação. Porém as vezes quando estamos atormentados por emoções intensas e até mesmo perturbadoras, não planejamos e não pensamos nas consequências dos nossos atos. Respire fundo, conte até dez, pense em outra coisa…algumas atitudes impulsivas podem durar segundos e afetar uma vida inteira.

E acredite: sempre haverá mais, muito mais, do que 13 razões para abraçar a vida com toda a sua complexidade e plenitude! Busque e construa as suas razões!

Gianna Guiotti Testa
Medica Psiquiatra (responsável técnica da Clínica OPY)
CRM DF- 15231


error:
Rolar para cima