O uso da CETAMINA na depressão!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram

A Cetamina representa atualmente um dos grandes aliados no tratamento da depressão.
Esta substancia é utilizada na medicina como anestésico, também considerado um psicodélico sintético, porem na psiquiatria e no tratamento da depressão, as doses utilizadas são cerca de dez a vinte vezes menores que as doses para efeito de anestesia.


Durante a pandemia e isolamento social, esta substancia foi uma ferramenta importante no tratamento dos meus pacientes. Neste caso, minha opção de tratamento foi a sublingual, para que os pacientes pudessem fazer o tratamento em casa.
Porem a via sublingual, apesar de eficiente, não é a melhor via de administração, segundo os estudos. A biodisponibilidade, ou seja, a quantidade da substancia que o organismo aproveita com uma determinada dose, é melhor através da via subcutânea,endovenosa ou intranasal.

Estudos mostram que a via subcutânea (a mesma forma que os diabéticos usam para aplicar insulina, ou seja, com uma agulha bem pequena), é tão ou mais eficaz que a via endovenosa, sendo que os efeitos adversos podem ser maiores quando utilizamos a via endovenosa.


Por isso aqui na clinica Opysaude optamos por oferecer o tratamento e as aplicações da Cetamina pela via subcutanea, sublingual ou intranasal. Os protocolos de aplicação geralmente utilizados, demonstrados pelos estudos científicos, recomendam duas aplicações semanais no primeiro mês, e uma aplicação semanal no mês subsequente.
Os resultados clínicos são muito bons, na imensa maioria dos casos, sendo que os efeitos benéficos na depressão são cumulativos e crescentes de acordo com o numero de aplicações. Estes efeitos também são duradores, e podem durar meses a anos após uma sequencia de aplicações.


E quais são os efeitos da aplicação? O efeito inicial varia de acordo com a dose, podendo ser uma sensação de relaxamento mental, até uma experiencia típica de um psicodélico: alterações de sensopercepção (visão, tato, audição), dissociação(expansão) da consciência.

De fato, um dos efeitos neurológicos comprovados, é a redução do chamado “Default Mode Network”, interrompendo pensamentos ruminantes e levando a uma dissociação momentânea do Ego, que tem um efeito antidepressivo associado.

Mas qual o mecanismo de ação da Cetamina?
Diferentemente dos antidepressivos tradicionais, que de alguma forma afetam primariamente as monoaminas (como serotonina, dopamina, e noradrenalina), a Cetamina tem como seu principal mecanismo de ação o antagonismo ao receptor NMDA de glutamato.


Os efeitos tardios incluem ainda a melhora da inflamação envolvida na gênese da depressão, aumento do BDNF (fator neurotrófico derivado do cérebro), levando ao aumento da neuroplasticidade e a sinaptogênese (formação de novas sinapses e redes neurais), revertendo as alterações causadas pela depressão.

O ambiente acolhedor da Opysaude foi especialmente preparado para tornar a experiencia com a aplicação de Cetamina mais intensa e especial. Entre em contato com a gente e informe-se sobre os pacotes de aplicação da Cetamina.
Lembrando que a indicação do tratamento sempre deve ser de um medico psiquiatra, e como qualquer psicofarmaco, o uso incorreto pode acarretar prejuizos importantes.

error:
Rolar para cima